CataLivros

DE FÃ PARA FÃS! - Blog para apaixonadas(os) por romances, pricipalmente Clássicos Históricos e afins. Resumos, Capas, Curiosidades, Livros para venda.

Minha foto
Nome:
Local: Natal, RN, Brazil

domingo, outubro 08, 2006

O Cimério e suas conquistas.

O texto abaixo faz parte do conto "O Colosso Negro". Nesta história, Conan, capitão do exército de Khoraja, é chamado para proteger a princesa Yasmela de um feiticeiro diabólico.
Claro que a princesa fica caidinha pelo bárbaro de olhos azuis...

"Ela estremeceu de novo.
— Estou amaldiçoada. Um demônio dos abismos colocou sua marca em mim. Noite após noite, ele aparece nas sombras, sussurrando segredos horríveis. Ele vai me arrastar para ser sua rainha no inferno. Não tenho coragem de dormir! Ele virá até minha tenda, da mesma forma como veio no palácio! Conan, você é forte. Fique comigo!Estou com medo!
Ela não era mais uma princesa, apenas uma menina cheia de pavor. Deixara seu orgulho despudoradamente de lado. O terror a fizera procurar quem lhe parecera mais forte. A potência quase animal que antes repelira, agora a atraía.
Em resposta, Conan tirou o manto escarlate e colocou-o nas costas da princesa com alguma rispidez, como se fosse impossível para ele protagonizar qualquer gesto de ternura. Sua mão de ferro repousou por alguns instantes sobre o ombro de Yasmela, que estremeceu de novo, não de medo. Assemelhava-se a um choque elétrico: uma onda de vitalidade animal percorreu seu corpo ao mero toque do bárbaro, como se parte de sua força abundante tivesse sido transmitida a ela.
— Deite aqui. — Ele indicou um espaço livre ao lado de uma pequena fogueira. Não via incongruência em fazer a princesa dormir no chão ao lado de um fogaréu de acampamento, enrolada no manto de um guerreiro. Ela obedeceu sem discutir.
Conan sentou-se em uma pedra a seu lado, com a espada sobre os joelhos. A luz do fogo refletia em sua armadura, e ele parecia uma imagem de aço — um poder dinâmico, temporariamente sossegado; não adormecido, mas imóvel por um instante, à espera de um sinal qualquer para entrar de novo em ação. O brilho das chamas brincava em seu rosto, fazendo-o parecer entalhado em uma substância misteriosa, dura como o aço, contudo. Mesmo que estivesse parado, seus olhos queimavam com uma intensidade viva. Ele não era simplesmente um selvagem; era parte dos elementos indomáveis da natureza. Em suas veias, corria o sangue de uma matilha de lobos; em seu cérebro, escondiam-se as profundezas meditativas das noites do norte; seu coração pulsava com o fogo de florestas em chamas. Assim, meio pensativa, meio sonhadora, Yasmela adormeceu, envolta em uma sensação deliciosa de segurança. De alguma forma, sabia que nenhuma sombra de olhos de fogo se curvaria sobre ela na escuridão enquanto aquele bárbaro sombrio de terras distantes a velasse."


E no final, quando ele a salva do feiticeiro, Howard apenas insinua o que acontece depois, cheio de sensualidade velada. O máximo.

"Conan caminhou até o altar e ergueu Yasmela com os braços sujos de sangue. Ela atirou convulsivamente seus próprios alvos braços ao redor do pescoço arredon­dado de Conan, chorando histericamente, e não o deixou desvencilhar-se.
— Em nome de Crom, moça! — resmungou ele. — Deixe-me ir! 50 mil homens pereceram hoje e há muito trabalho a fazer...
— Não! — Yasmela interrompeu, agarrando-o com uma força convulsiva, tão bárbara naquele instante quanto seu medo e sua paixão. — Não vou deixá-lo
ir! Eu sou sua, por fogo, aço e sangue! E você é meu! Lá fora, eu pertenço aos outros. Aqui, eu sou minha... e sua! Você não irá!
Ele hesitou, lutando contra a força de suas próprias paixões violentas. O brilho lúgubre e inumano ainda enchia a câmara, iluminando de maneira fantasmagórica o rosto findo de Thugra Khotan, que parecia rir sombria e terrivelmente para eles. No deserto, nas colinas entre os oceanos de corpos, homens estavam morrendo, uivando com suas feridas, sua sede e sua loucura, e os reinos permaneciam em perigo. Mas então tudo foi apagado por uma onda carmesim que agitava loucamen­te a alma de Conan, enquanto ele apertava em seus braços de aço aquele esguio corpo de porcelana, enroscado ao seu pelo poder de um fogo mais poderoso do que qualquer magia."

5 Comments:

Blogger Scarlett OHara Cavendish said...

A potência quase animal... Uma onda de vitalidade animal... Dura como o aço... Enquanto ele apertava em seus braços de aço aquele esguio corpo de porcelana, enroscado ao seu pelo poder de um fogo mais poderoso do que qualquer magia.

Isso foi escrito na década de 30?
E são os romances de banca chamado de pornografia?
Como os pensamentos mudam...
Essa escrita velada e terrivelmente sensual, devem ter entrado em milhares imaginações de jovem e proibidos pelas mães as jovens.
Mas que o autor fez um bom trabalho ela o fez.

Como sempre Drica, sua inteligencia e sencibilidade nos fazem reverência-la.
Parabéns.
Beijos e abraços.
Scarlett O'Hara Cavendish.

11:56 PM  
Blogger Scarlett OHara Cavendish said...

ps: o Autor é ele e não ela.

EU TAMBÉM QUERO UM CONAN
ai... ai...

12:01 AM  
Anonymous Anônimo said...

sabe vou comecar a escrever um livro(My Chemical Romance)continuem com esse belo site.Bjs Sara

8:15 PM  
Anonymous Anne Valentine said...

OLá querida! Encontrei teu lindo blog por acaso. Eu tbm amo os romances, leio e escrevo a mais de 10 anos. Adoraria ser visitada por você e até receber crítica de uma mulher conhecedora dos melhores romances do mundo. Estou no Recanto das Letras, e tenho 2 q eu gostaria q vc lesse, e se acaso gostar vai se incentivar a ler outros. Mas peço q leia estes 2 e me dê sua sincera opinião. Conto: Lembranças de um Professor e o e-livro: A Espanha.
Eu escrevo histórias de amor com um misto de sensualidade. Te espero ansiosa no meu cantinho!!! Bjs

9:05 AM  
Anonymous Anônimo said...

Boa noite Drica. Desculpe-me o incômodo. Estarei em Natal em agosto e gostaria de saber se existe alguma
FEIRA DE RUA COM ANTIGUIDADES ou uma dica de loja de antiguidades. Obrigado. Marcos Giordani - Caxias do Sul - RS.

9:40 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home