CataLivros

DE FÃ PARA FÃS! - Blog para apaixonadas(os) por romances, pricipalmente Clássicos Históricos e afins. Resumos, Capas, Curiosidades, Livros para venda.

Minha foto
Nome:
Local: Natal, RN, Brazil

sábado, outubro 07, 2006

O cimério e uma amostra de sua "quentura"!

Este é um dos textos originais de Robert Howard.
A magia e as descrições deles eram incomparáveis, assim como a sensualidade latente que ele conseguia transmitir. E olha que os textos foram escritos nas décadas de 20 e 30!

O trecho abaixo faz parte da história "A Filha do Gigante do Gelo". A mulher em questão é um tipo de fada da neve que atrai os homens perdidos para serem mortos por seus irmão. Só qiue, dessa vez, ela se meteu com o cara errado!

Depois de se livrar dos irmãos da moça, o cimério resolveu que deveria receber seu prêmio...

"Conan virou-se para ver a garota parada a uma certa distância, os olhos arrega­lados de horror. A expressão de zombaria desaparecera do rosto dela. Ele gritou e sua espada derramou sangue; suas mãos tremiam de paixão.
— Pode chamar todos os seus outros irmãos! — ele gritou. — Darei o coração deles aos lobos! Você não vai escapar...
Com um grito de guerra, ele disparou na direção da mulher. Ela já não ria, nem lançava olhares de desafio por sobre os ombros brancos. Corria como quem teme pela vida. Embora ele juntasse toda a força e a energia de seus músculos, até que suas têmporas estivessem a ponto de explodir e seus olhos vissem a vermelhidão à frente, ela conseguiu se afastar, desaparecendo vagarosamente no fogo misterioso do céu, até sua figura ficar menor do que a imagem de uma criança, dançando sobre a brancura do gelo, um mero ponto na distância. Conan buscou todas as suas reservas de energia, rangeu os dentes e correu mais. Logo, ela ficou apenas uns cem passos à frente. Lentamente, metro a metro, sua vantagem diminuía.
Ela parecia não ter mais forças para correr, seus cabelos dourados esvoaçavam. Conan ouviu sua respiração cansada e viu o brilho de medo em seus olhos quando a cabeça delicada se voltou novamente por sobre os ombros brancos. A resistência selva­gem daquele bárbaro mostrava-se útil. A velocidade desaparecia das pernas da mulher. Seus passos já não eram tão seguros. Na alma descontrolada de Conan, brilhavam as chamas do inferno que ela acabara de alimentar. Com um grito inumano, ele se aproximou. A mulher tropeçou, deu um grito e ergueu os braços para se defender.
Ele a abraçou de um jeito selvagem, e a espada caiu por terra. O corpo delicado dobrou para trás; ela lutou desesperadamente, tentando libertar-se dos braços fortes. Os cabelos dourados esvoaçavam pelo rosto de Conan, cegando-lhe o olhar, tamanho o brilho. O contato com aquele corpo fino, que se revolvia tentando escapar de seus braços, provocou-lhe um fundo desatino. Os dedos fortes mergulharam na pele macia, fresca como a neve. Era como se ele abraçasse não uma mulher de carne e osso, mas um corpo esculpido em gelo que queimava de tão frio. Ela lançou a cabeça para um lado, lutando para evitar os beijos quentes de paixão do bárbaro, que machucavam seus lábios encarnados.
— Você é tão fria como as neves — murmurou ele, intrigado. — Mas vou aque­cê-la com o calor do meu próprio sangue...
Com um grito agudo e um esforço desesperado, a mulher escorregou dos braços de Conan, e deixou em seu lugar a roupa fina e transparente. Saltou para trás e ficou de frente para ele, os cabelos louros desarrumados sobre o rosto, os seios brancos tremendo, os lindos olhos irradiando um brilho de pavor. Durante uma fração de segundo ele permaneceu parado, estupefato diante da inacreditável beleza nua que se erguia diante dele nas neves.
Naquele instante, ela levantou os braços na direção das luzes coloridas que ilu­minavam o céu e gritou, com a voz que ecoaria para sempre nos ouvidos dele:
— Ymir! O meu pai, salve-me!"

O Cimério de Olhos Azuis

Tá bom, tá bom. Não é um romance, não é de nenhuma de nossas autoras... tem sangue e cabeças voando? Sim. Romantismo? Hum...á moda de Conan, tem sim.
Mas, fala sério. Tá pra nascer um homem mais...homem do que esse.
Apesar de ser galinha até o fundo da alma, sem vergonha e beberrão, ele é o máximo!
Lógico que não podia deixar de comentar Conan por aqui. Afinal, todo bárbaro tem seu lado doce. E sexy!
Ufa, bota sexy nisso!

Tornei-me fã dele na adolescência e colecionei todas as revistas e gibis de Conan. Espada Selvagem, Conan Saga, Conan, o Bárbaro... Ah, e não diga que viu o filme porque "aquilo" foi um lixo!

Esse ano foi lançado um livro com os originais de Robert E Howard, o homem que criou Conan e todo seu complexo universo.
Vou colocar aqui, além da capa, uma das ilustrações internas (linda!) e, ao longo de outros artigos falar um pouquinho sobre o Cimério de melancólicos olhos azuis.

BJS




















Bêlit dança para Conan.

quinta-feira, outubro 05, 2006

Atos de Amor

Best Books
Autor: elia Kazan
Título Original:Acts of Love
Publicação Original:1978, Elia Kazan
Publicação no Brasil: Nova Cultural, 1986

NO JOGO DAS PAIXÕES A AFIRMAÇÃO DA VIDA E DA MORTE.

"Perseguida pela solidão, Ethel Laffrey vive para o prazer. Em cada uma de suas experiências amorosas afirma sua maturidade. Passa de um amante a outro sem sentimentos de culpa. Mas não consegue estabelecer relações duradouras. Existe um permanente conflito entre seu comportamento e a moral sexual tradicionalmente aceita. O casamento com Teddy, um jovem grego, parece ser a solução para os valores de sua família e o ambiente em que vive. Teddy, porém, não pode ter filhos e Costa Avaliotis, seu pai, representa um mundo de rígidos valores patriarcais. Desaprovando a conduta da nora e, ao mesmo tempo, desejando-a, Costa acaba por provocar uma tragédia..."